Olá | Sair
Olá | Sair
O QUE VOCÊ PROCURA?

Entretenimento

Viver a vida é estilo de vida. Fique por dentro de tudo o que acontece no mundo das artes, lazer, viagens, cultura, tecnologia e muito mais.

Mitos sobre aprender a tocar um instrumento após os 60

Tempo de leitura: aproximadamente 9 min.

Mitos sobre aprender a tocar um instrumento após os 60 - Viver a Vida

Muitas pessoas têm o interesse de aprender um instrumento musical, mas nem sempre a vida permitiu que esse desejo fosse realizado. Por isso, é comum, com o passar dos anos, quando já estão aposentados ou com mais tempo disponível, esse desejo volte a aparecer.

“Ah! mas eu já estou muito velho para isso!”, “É melhor deixar pra lá”, “Com essa idade, eu nunca vou conseguir aprender a tocar um instrumento”, e esse mito vai se espalhando até a desmotivação dominar todo o seu desejo de dedilhar uns acordes em seu instrumento favorito.

Pode parar agora com esses pensamentos negativos e desanimadores! Preparamos esse texto para lhe motivar, por meio de dados científicos e comprovados, a abrir a partitura e começar a explosão cerebral que tocar um instrumento nos propicia.

Tocar um instrumento é uma explosão cerebral

A neurociência tem sido uma grande aliada dos músicos para compreender como a música, e mais precisamente, tocar um instrumento, funciona em nosso cérebro. Por meio de escaneamentos cerebrais, realizados com a ajuda de equipamentos como a ressonância magnética do cérebro, ficou demonstrado que há uma diferença de atividades cerebrais entre uma ação e outra.

Dependendo da música que se ouve, despertam-se determinadas regiões no cérebro, mas esse processo, ainda assim é bem pontual. Diferentemente do que acontece quando você toca um instrumento. O que se vê como atividade cerebral é uma explosão de luzes em seu cérebro, espalhadas pelas mais diversas áreas, captadas pelos aparelhos de ressonância, e que comprovam a complexidade de estímulos que tocar um instrumento é capaz de produzir na cabeça de um músico.

Mas, é possível aprender um instrumento depois de adulto? 

A resposta que a neurociência nos dá é bastante animadora. Embora saibamos que uma criança tem uma maior plasticidade cerebral, o que permite que ela aprenda com uma velocidade maior do que um adulto, é possível aprender sobre qualquer assunto ao longo de toda a vida. E, portanto, é possível aprender a tocar um instrumento em qualquer idade.

E, nesse ponto, não é preciso ser um neurocientista para ser categórico quanto ao processo de aprendizagem. Músicos, neurocientistas e professores sabem que o desejo, a prática constante e a experiência são as peças-chave para o sucesso de quem está interessado em embarcar na aventura do aprendizado.

Por isso, os pesquisadores do nosso cérebro são taxativos: Sim! é possível aprender um instrumento mesmo depois de adulto, o que importa é a sua dedicação, paciência e resiliência com os seus próprios erros.

Motivação: A palavra mágica para aprender um instrumento

Uma analogia bastante comum relatada por pessoas que estão em constante atividade de aprendizagem, que exige dedicação e concentração, seja ela qual for, é que esse processo, de estar aprendendo algo novo é como a sensação de “borbulhas” de champagne em nosso cérebro.

E só conseguimos passar por essa experiência quando nos sentimos animados, interessados e motivados pelo assunto estudado. Pense em seus anos de escola. Como você se saia com as disciplinas com as quais tinha mais afinidade? E como era seu desempenho com aquelas que você apresentava mais dificuldade?

Com o aprendizado como adulto isso não muda muito. Se você se sente motivado e está interessado em aprender um instrumento, o universo, e seu cérebro, conspirarão a seu favor. E para ajudar nesse processo, separamos algumas dicas que podem deixar a aprendizagem mais fácil e prazerosa. 

Dicas para aprender a tocar um instrumento 

Pensando em tornar esse processo, novo e de muito desafio, o mais divertido e leve possível, separamos para você algumas dicas para que você não se desanime e, menos ainda, desista no meio do caminho. Com calma, dedicação e treino, você vai chegar lá!

  1. Escolha um instrumento que você tenha mais afinidade
  2. Comece com músicas mais simples, acordes mais básicos e poucas variações
  3. Uma boa dica é você começar pelas músicas que são mais familiares, como as que você ouvia na infância. A memória afetiva conta muito a favor nesse processo
  4. Pratique, pratique e pratique. A prática é o grande segredo de qualquer aprendizagem
  5. Comemore todos os pequenos avanços. A cada treino e aprendizagem que tenha sido automatizada, reconheça o seu esforço e fique feliz com o que aprendeu
  6. Não superestime os pontos de dificuldade. Eles existem, mas não devem ser um obstáculo intransponível
  7. Treine, treine e treine. Já falamos sobre isso. Mas é sempre bom lembrar que só a prática permitirá a desenvoltura. E essa dica serve para qualquer atividade.

E, por fim, e mais importante: Não deixe de realizar um desejo antigo pelo receio de não dar conta. Você vai perceber que a paixão e dedicação ao ver seu sonho se concretizando está muito mais perto do que você imagina. Uma boa primeira aula a você!

+ vistos

Entretenimento

Descubra os conteúdos mais acessados pelos usuários Viver a Vida na última semana

Viver a Vida By Falcão – Balonismo - Viver a Vida

Viver a Vida By Falcão – Balonismo

Fala, meu povo do cabelo prateado! Minha coluna, a Viver a Vida By Falcão, chegou […]

Falcão - Viver a Vida

Falcão

“Assista a minha muito ótima video coluna semanal. Informação e fuleragem […]

Como é o namoro online depois dos 50? - Viver a Vida

Como é o namoro online depois dos 50?

Essa etapa da vida pode vir acompanhada de muitas surpresas, descobertas e experiências […]